Comissão de Direitos humanos da OAB Bahia repudia execução de cabo PM

A Comissão de Direitos humanos da OAB-BA divulgou carta em que condena com veemência recente execução de Gustavo Gonzaga da Silva, 44 anos, cabo da Polícia Militar da Bahia, neste sábado, 09 de Junho de 2018.

Confira:

A OAB-BA e a sua Comissão de Direitos Humanos vem a público externar seu profundo pesar e consternação pela bárbara execução, precedida de indescritíveis atos de tortura com requintes de crueldade, que ceifou a vida de Gustavo Gonzaga da Silva, 44 anos, cabo da Polícia Militar da Bahia, neste sábado, 09 de Junho de 2018.

O covarde crime cometido contra Gustavo Gonzaga da Silva viola de forma aviltante e inaceitável a dignidade da pessoa humana, eixo axiológico de nossa Constituição, fato que merece o manifesto e inconteste veemente repúdio por parte desta entidade de classe bem como de toda a sociedade.

Atos como o cometido contra Gustavo Gonzaga da Silva, lamentavelmente, se circunscrevem em uma restrita categoria de crimes contra humanidade capazes de implicar indivíduos como seus agentes e responsáveis diretos. Nesse sentido, urge que os criminosos sejam trazidos à justiça e exemplarmente punidos, conforme determinam os estritos rigores da lei e os limites do estado de direito.

Como categorias que atuam diariamente em favor da Justiça, ainda que através de práticas diversas, a OAB-BA, em nome de todos os advogados e suas famílias, empenhar toda sua solidariedade à Corporação da Polícia Militar da Bahia, colocando-se à disposição no que esta instituição, na pessoa de seu alto comando, entender por necessário na busca de Justiça para Gustavo Gonzaga da Silva.

Nesse mesmo sentido, estende, oportunamente, seus pêsames especialmente à família enlutada da vítima, ciente, infelizmente, de que não há palavras capazes de mitigar o imenso sofrimento que advém de tão devastadora tragédia.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *